terça-feira, 7 de março de 2017

Pastel de Natas, ora pois! 4 lugares imperdíveis!


Viajar a Portugal é se inserir em um mundo de sabores! A culinária portuguesa é rica, e super saborosa.

Um dos mais famosos doces, e delicioso, é o Pastel de Natas. Símbolo do país, a casquinha fina de massa folhada, super recheada com o creme, deixa a boca salivando!

Em qualquer lugar que visitar - bar, restaurante, padaria - a iguaria estará disponível.

Para ajudar, selecionamos 4 (quatro) lugares para que desfrute o Pastel de Natas!

1. A Padaria Portuguesa - a rede de padaria/cafeteria está presente em toda Lisboa. Possui ambiente aconchegante, e um delicioso Pastel de Natas. Aproveite para se sentar e apreciar outros sabores que o local oferece.


2. Chiado Caffé - no Chiado, como o nome diz, a cafeteria tem pastel de natas fresco, e um atendimento impecável! Tome por lá seu café da manhã, ouvindo as notícias, comendo pastel de natas e tomando uma media leite (xícara de café com leite).



3. Manteigaria - bem em frente à Praça Camões, a pequena porta é uma fábrica incessante de pastéis de nata. As Senhoras de uniforme branco não param um minuto de vender estas delícias, enquanto os homens os fabricam, logo atrás do vidro. Não há lugar para se sentar. Não se assuste, ela está sempre cheia, mas vale a pena a visita!




 4. Fábrica da Nata - A cafeteria possui um espaço lindíssimo, e permite que se visualize a confecção dos pastéis de nata. Vale muito a pena conhecer. Além do pastel, há diversos salgados, doces, cafés e sucos (sumos).




Conhece algum destes? Tem alguma outra dica? Conte-nos!!

Aproveite a sua viagem!!

sábado, 18 de fevereiro de 2017

24 horas em Luxemburgo


Pequenininho e lindo! Luxemburgo é um país surpreendente!

Entre a França, Bélgica, Alemanha e Holanda, Luxemburgo possui paisagens deslumbrantes.

A capital, homônima, parece construída a dedo para deixar nossos olhos embasbacados, e é Patrimônio da Humanidade pela Unesco, inscrito como Patrimônio Cultural Imaterial.

Perfeitamente preservada, para se chegar ao Centro Histórico passamos por pontes com um lindo vale, o que deixa ainda mais belo o local.

Já no Centro, as praças e ruas são repletas de árvores, com esculturas e prédios lindos!

Listamos os locais imperdíveis para que desfrutem Luxemburgo em 24 horas!

1. Praça da Constituição

Desta praça é possível ter uma vista linda de Luxemburgo. A praça contém o Monumento da Lembrança (Gëlle Fra), dedicado aos luxemburgueses que estiveram na Primeira Guerra Mundial, e também na Segunda (na pedra de mármore em sua base).

O que mais me chama atenção, na verdade, é sua amplitude e verde. Ótimo lugar para descansar das andanças em torno da cidade.




2. Rocher du Bock

Este foi o local que mais gostei. É o berço da cidade.

No início existia um castelo, construído em 963, e ao longo dos anos, acrescentaram-se muralhas, fortes que abrigavam soldados, cavalos, oficinas, cozinhas.



Em 1875 a estrutura foi arrasada, mas as casamatas mantidas, sob pena de se também demolir parte da cidade. Permanecem 17 (dezessete) quilômetros de túneis!

As casamatas foram inscritas como Patrimônio da Humanidade em 1994, pela UNESCO.


O mais gostoso é poder caminhar por todo este espaço e imaginar tudo que ali foi vivenciado. Quantos mistérios não abriga?

3. Catedral de Notre-Dame

A Catedral foi construída em 1613, e origialmente era uma catedral jesuíta.



Imponente, fica bem no Centro da Cidade. Possui um estilo gótico e lindos vitrais.

4. Palácio Grão-Ducal

O Palácio teve sua construção iniciada em 1572, mas apenas em 1817 se tornou a residência oficial do Grão-Duque, Monarca e Chefe de Estado, sendo usado pelo Soberano no exercício das funções oficiais.



Além destes locais, o gostoso de Luxemburgo é aproveitar suas praças arborizadas e ruas estreitas que nos encantam com tantos prédios lindos, intocáveis.



Gostou? Já conhece? Deixe um comentário!

Não conhece ainda? Que tal colocar na listinha como próximo destino?!

Aproveite sua viagem! 

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Airbnb - alugar apartamento é uma boa escolha?

O mais novo site de aluguéis de apartamentos, comentado e utilizado pela maioria, e que engloba o mundo todo, é o Airbnb. Diferentemente de outras plataformas, o site não possui apartamentos próprios, nem mesmo qualquer relação direta com os proprietários (ganha comissão com os aluguéis, mas não responde juridicamente pelos imóveis).

E aí, o que nós viajantes ganhamos? Ganhamos muitas opções de apartamentos: novos, antigos, simples, luxuosos, com preços que cabem no bolso e aqueles com os quais vamos sonhar... muitas portas se abrem...

E pensando no preço e no fato de ter cozinha e sala (não ser apenas um quarto de hotel), decidi alugar um apartamento pela Airbnb. Há alguns anos eu já tinha tido a experiência da locação, mas através de outros sítios eletrônicos, e todas foram extremamente positivas - o que não posso dizer desta vez.

Após ver vários apartamentos, inúmeras fotos, e filtrar pelos valores que poderia pagar, decidi por um apartamento de 2 (dois) quartos, pois iria dividir com uma amiga e sua filha (o apartamento acomoda 4 pessoas).

Até a nossa chegada, o locador nos tratou muito bem, e combinamos, inclusive, um check in antecipado, já que os hóspedes anteriores sairiam cedo.

Todavia, ao chegar no apartamento, a locadora (marido e mulher locam diversos imóveis) nos foi pouco simpática e parecia ter muita pressa em nos mostrar o imóvel e ir embora. 

O imóvel era no 3º (terceiro) andar, com escadas. O anúncio não informava.

Para ser sincera, acho que era um sótão que foi adaptado. Não pareceu ser isso um problema, mas poderia ter sido, considerando que o teto de um dos quartos é baixo, o que dificulta sua utilização.




Mas algumas outras coisas aborreceriam mais. O banheiro não tinha aquecimento, e a ducha de banho estava com o suporte quebrado... sempre precisávamos segurar a ducha para o banho - inclusive para lavar os cabelos, e ainda, o banheiro tinha um cheiro forte de esgoto (do encanamento), bem desagradável. Como era inverno, manter a janela aberta era um problema... Para deixar ainda melhor, recebemos em 3 (três) dias visitantes ilustres: lesmas! Isso mesmo! As pequenas e nojentas lesmas estavam no box e na parede do banheiro.. eram várias.. nunca pensei que fosse passar por isso!!!

Como dito, um dos motivos que levo à escolha pelo apartamento foi o fato de ter cozinha. Em outros já utilizados, a cozinha era completa, vários utensílios. Neste, diversamente, embora tivesse forno, fogão, cafeteira e microondas, eram poucos copos, 4 pequenas panelas. Nos deixaram um vinho de cortesia, mas o saca rolhas estava quebrado e não havia taças.



Para completar, o apartamento contava com 2 (dois) pequenos aquecedores portáteis. Um deles parou de funcionar, e comuniquei por mensagem (whatsapp). A locadora esteve no imóvel para realizar a troca. Simplesmente entrou sem bater na porta, sem interfonar previamente. Minha amiga estava no banho, a filha dormindo, e eu fora de casa. A locadora foi direto ao banheiro e bateu na porta com força, avisou que estava a trocar o aquecedor, e foi embora. Achei uma falta de respeito. O apartamento está locado, não pode entrar sem avisar previamente.




Por isso, acho que podemos alugar novamente, mas algumas coisas precisam ser mais bem estabelecidas.

Depois da locação, pesquisando mais no site do Airbnb, e com o auxílio de uma amiga, descobri que podemos fazer perguntas antes de fecharmos o aluguel. Acredito que ajuda bastante, pois é possível fixar alguns limites previamente.

Como sugestão, pergunte:

a. Como se dá o acesso ao apartamento? Se for em cidade antiga, é provável que tenha ladeiras ou escadarias, e também, pode ocorrer de não ter elevador.

b. Há aquecedor e/ou ar condicionado? A depender da época do ano, são itens essenciais.

c. Qual a melhor forma de comunicação com os responsáveis pelo imóvel? Com o whatsapp fica mais fácil e não se paga a ligação (que pode ser interestadual ou internacional).

d. Se houver algum problema no apartamento, como ele será resolvido? Se eu tivesse feito esta pergunta, evitaria que a responsável adentrasse sem avisar...

e. Há utensílios domésticos, roupas de cama e banho?

f. Em caso de avaria com algum utensílio (ex. copo quebrado), é preciso repor? Como será feito?

g. Como se dá o check out? É preciso aguardar o responsável ou apenas deixar a chave e ir?

h. Se estiver viajando com outras pessoas, pergunte se há chave adicional do apartamento. Muitas vezes, saímos com destinos diferentes, e o fato de ter apenas uma chave limita o grupo.

i. Pesquise a vizinhança, se o bairro é calmo ou tem atividades noturnas, e veja qual se encaixa em seu perfil.

Essas são as dicas! Com certeza você tem uma especial!

Qual a sua experiência? Compartilhe conosco!

(as fotos são do apartamento que locamos, em janeiro de 2017).

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Viajar Sozinha?!

A cada tempo que passa, mais vejo pessoas que viajam sozinhas. Seja por que gostam, por necessidade, ou até por falta de companhia.

A verdade é que a minha vida não me permite bater a porta de casa, escolher um destino e simplesmente partir. Optei por ter uma família, e isso implica em programar viagens que nos permitam passar mais tempo juntos - já que o dia a dia nos consome - e aproveitar a companhia um do outro.

Mas o destino nos prega peças, e sem imaginar, acabei por viajar sozinha. O lado bom disso tudo? Mais experiência para a vida!

Listei alguns pontos positivos e outros negativos:

PONTOS POSITIVOS:

1. Você é dona do seu horário e seus passeios. É um ótimo momento para conhecer um lugar que só você queria ir. Eu aproveitei para curtir o ócio e me perder pelas ruas;

2. É uma grande oportunidade para se redescobrir. Redescobrir seus gostos, suas necessidades;

3. Dá para aproveitar e ler um livro - consegui terminar um apenas lendo nos transportes públicos;

4. Permita-se encontrar uma amiga e "perder" o dia com ela! Ninguém está à sua espera;

5. Aproveite para fazer novas amizades. 

PONTOS NEGATIVOS:

1.  Você está só e isso implica em carregar as malas para dentro do sanitário do banheiro (kkkk passei por isso na hora em que cheguei no aeroporto), não ter ninguém para "segurar o lugar" na fila, e nem mesmo pegar um sachê de açúcar para você (todas experiências reais :) );

2. Dá saudade... principalmente da família.

Esses foram os sentimentos e experiências que passei. 

Se viajaria só novamente? Sim, mas eu ainda prefiro a companhia dos meus amores!

E você? O que acha de viajar sozinha (o)? 

Conte para nós sua experiência!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016




Viajar, viajar e viajar... acho que esse é o meu grande desejo e de várias pessoas!

Esse enorme desejo de viajar é conhecido por Wanderlust, uma palavra alemã que significa exatamente este desejo (incontrolável) de viajar! Quem mais se encaixa, levanta a mão! :)

Justamente pensando neste desejo, vários blogueiros criaram o desafio WANDERLUST, e os blogueiros responder a perguntas de viagens. Eu fui convidada pela Poliana Cardozo, que escreve o Comendo Chucrute & Salsicha - blog cheio de dicas (li várias sobre a Alemanha antes da minha última viagem). Dá uma conferida aqui!!

Bom, vamos às perguntas! 

1. Quando e para onde ia seu primeiro avião?
R: Meu primeiro avião foi para Salvador. Viajamos nas férias, era 1989, e seguimos de Vitória para Salvador, Fortaleza e Manaus. Foi uma viagem maravilhosa, cheia de cores deste Brasil, e com muito carinho, pois fomos eu e meus avós (com quem sempre morei). Embora tenha sido para Salvador, minhas memórias mais firmes são de Manaus, em especial o encontro do Rio Negro com o Rio Solimões... fiquei muito impressionada!

2. Para onde você já foi e gostaria de voltar?
R: Na minha primeira viagem para a Europa, um vizinho de trabalho, já idoso e que tinha rodado todo o mundo, me disse para sempre ter motivos para voltar a um lugar. Eu estava ansiosa e queria desbravar todos os cantos das cidades que conheceria.. e com esta frase, ele me mostrou que eu sempre poderia voltar a vários lugares, pois algo novo me encantaria. Mas existe um lugar que quero MUITO voltar.. ASSIS, na Itália. Esqueça qualquer motivo religioso.. há algo mágico, singular, naquele local. Já falei de Assis no blog - clique aqui.


3.Você está viajando amanhã e dinheiro não é problema. Para onde você vai?
R: Que sonho! Me belisca :) Hoje, a viagem que quero muito realizar é para a Tailândia, Camboja, Laos e Vietnã. Não consigo explicar este desejo... mas a cultura desta região me fascina.

4. Método preferido de viagem: avião, trens ou carro?
R: O método que mais gosto é de carro... para poder parar a hora em que eu quiser, no local em que eu quiser, por quanto tempo quiser.. Mas confesso que gosto muito de viajar de trem: é o único meio de transporte que não me causa náuseas.

5. Site preferido de viagens?
R: Jura?! Não tenho um site preferido, tenho vários! Dependendo do lugar que eu quero conhecer, faço minhas pesquisas nos vários blogs que conheço. Mas viajar engloba blogs, livros, revistas, fotos... 

6. Para onde você viajaria só para comer a comida local?
R: Sou chatinha para comer... mas juro que tento experimentar a culinária local sempre. A comida que mais gosto: italiana.. logo, iria para a Itália só para comer (muito!). Depois, partiria para Portugal, pois amo as sobremesas portuguesas.

7. Você sabe seu número de passaporte de cabeça?
R: Não... passaporte não consigo gravar... estou usando menos do que gostaria kkkk 

8. Você prefere o assento do meio, corredor ou janela?
R: Janela sempre! Não só para ver as cidades, tentar adivinhar onde estou, mas também para conseguir dormir - só durmo encostada no avião.

9. Como você passa o tempo quando está no avião?
R: Na mochila levo livros, meu moleskine, caneta... enquanto não estou fazendo minhas anotações, leio o livro escolhido e intercalo com algum filme legal. É hora de relaxar e aproveitar o ócio.


10. Existe algum lugar para onde você nunca mais voltaria?
R: Definitivamente não. Há lugares que não são prioridade - conheci e fim - mas voltaria com algum amigo ou familiar. Todos os lugares me acrescentaram coisas legais, e além disso, sempre tenho motivos para voltar.

Depois de falar um pouco de mim, e agradecer ao convite lindo da Poliana Cardozo, quero convidar o Deivson Santana do blog Capixaba na Estrada. Se não conhece, a oportunidade é agora! ;)

Siga-nos no instagram: @blogumolharnovo , no face: Um Olhar Novo e no twitter: @UmOlharNovo 

Compartilha e curta! Eu agradeço muito!!

domingo, 27 de novembro de 2016

Mosteiro Zen Budista - Ibiraçu



Bem pertinho da Capital Capixaba está a cidade de Ibiraçú, que abriga o Mosteiro Zen Morro da Vargem.

A localização do Mosteiro foi escolhida por estar, geograficamente, bem centralizado no Brasil, com distâncias equivalentes para o norte e sul do país.

Segundo informações recebidas, o Mosteiro é construído em um local aonde se vai para ele, ele tem que ser o destino do indivíduo, e não em uma passagem para algum outro lugar.

Antes mesmo de chegarmos às instalações principais do Mosteiro, bem às margens da BR101, já nos deparamos com o portal do Mosteiro, e um lago. 

O lago é denominado "Lago da Serenidade" - é um jardim de pedras tradicional zen, um jardim seco, onde as pedras brancas representam a água e os desenhos, seu movimento. Por sua vez, as pedras grandes representam ilhas.


Importante dizer que todas as esculturas no Mosteiro possuem um simbolismo.

O Mosteiro está aberto para visitação apenas aos domingos, entre 8:00h e 13:00h, e há algumas atividades que podem ser realizadas pelos frequentadores. 

Dentre as atividades, há meditação e a exibição de filme que conta a história do Mosteiro desde o início da sua instalação. Você pode optar por fazer a visita guiada pelo Monge, que te explica cada símbolo existente no Mosteiro.

(sala de meditação)

A visita se inicia no lago cheio de carpas e a entrada principal do Mosteiro, um portal. É no portal que o indivíduo que quer ser monge aguarda para ser atendido - nele é feito o primeiro teste de resistência, pois é preciso aguardar, até mesmo por horas, para ser atendido (especialmente no Japão).

Logo após, já se está junto a um dos grandes símbolos do mosteiro: o sino. O sino é uma peça única, feito especialmente para o Mosteiro. Não se compram peças prontas. É uma peça muito cara, e foi doado por uma viúva japonesa - seu marido tinha sido um benfeitor do Mosteiro Zen.

Os sinos "conversam" uns com os outros sinos, sendo a forma de comunicação no Mosteiro. É o maior sino do Espírito Santo.





Além desta, há trilhas que podem ser feitas pelos visitantes (se quiser fazer, lembre-se de levar uma garrafinha de água).

(Início da Trilha Picuã - 460m)

(Local de venda dos tickets de lanche e objetos relacionados ao Mosteiro)

No local não são servidas refeições, mas há sucos naturais e pastéis de queijo (todos os produtos são cultivados no local). Sugiro o suco de araçaúna, uma frutinha bem conhecida no Espírito Santo.

O local, quando os Monges chegaram, estava completamente devastado, desmatado. Foi feito reflorestamento e há diversas espécies da Mata Atlântica.

Recentemente, a imagem do Buda morto foi instalado, deixando ainda mais lindo o local. Reparem que apenas a cabeça e um braço da imagem foram feitos, sendo aproveitada a pedra que existia no local para formar o corpo.


Outro símbolo do Budismo presente no Mosteiro é a Kanon (ou Kanzeon). Foram colocadas 10 (dez) Kanos velando o Buda morto.


Neste grande pátio são feitas diversas atividades, tais como relaxamento, Tai Chi Chuan e treinamentos. 


A Kanon, é a Bodhisattva da compaixão e misericórdia, renunciou a sua salvação pela de todos os seres, e possui um pequeno templo em sua homenagem.



Além da visita durante os domingos, o Mosteiro realiza retiros nos feriados, e especialmente no Carnaval (retiro mais longo). Para participar é preciso se inscrever antecipadamente, pois há número limitado de vagas.

Ao final, aproveite para ir ao mirante e apreciar a paz do local.



Buda, para o Budismo, não significa uma pessoa, mas uma condição, em especial, o equilíbrio.

Para maiores informações quanto aos retiros, visite: www.mosteirozen.com.br


sábado, 4 de junho de 2016

Montanhas Capixabas - Pedra Azul e arredores: 5 dicas!


Em maio/2016 aconteceu o 1º Encontro de Blogueiros do Espírito Santo (#pocandonoes), realizado pelo Capixaba na Estrada. Dentre os locais visitados, escolhemos Pedra Azul.

Pedra Azul é um distrito do município de Domingos Martins, na Região Serrana do Espírito Santo.

Distante 100km da capital Vitória, Pedra Azul se tornou um dos destinos mais charmosos do inverno capixaba. Com temperaturas mais baixas - em torno de 10º (dez graus) no outono e inverno, excelentes restaurantes, e uma vista de tirar o fôlego, cada vez mais tem recebido turistas e novos empreendimentos.

Longe de conseguir enumerar as várias atrações, vamos te dar dicas de 5 (cinco) coisas para fazer por lá! ;)

Dica 1: Parque Estadual da Pedra Azul.

O Parque Estadual foi criado em 1991, visando proteger a região. Para chegar até ele, você entrará na Rota do Lagarto (saindo da BR262, a entrada da Rota fica na Pousada e Restaurante Peterle). Há estacionamento junto a entrada, com cafeteria, banheiros e loja de suvenires.



Da primeira entrada até o local de onde saem as trilhas é preciso percorrer aproximadamente 800m (oitocentos metros), mas a paisagem não te deixa cansado. Aproveite para "analisar" as impressões da Pedra Azul.. arranhões, a espingarda, o pé, a pata, o lagarto!

São três trilhas que podem ser feitas, e apenas em uma delas é preciso guia obrigatoriamente. Nas demais, assinando um termo de responsabilidade, é possível seguir sozinho ou em grupo.



A trilha que necessita de acompanhamento te leva até as piscinas naturais, e é preciso agendar previamente, pois há limite de 50 (cinquenta) pessoas por dia.


Você pode agendar através do telefone: (27) 997398005.


Dica 2: Cavalgada Ecológica Pedra Azul - Fjordland


Situada também na Rota do Lagarto, o local abriga uma cafeteria, loja de suvenires, biblioteca e estábulo.


Durante os finais de semana e feriados, cobra-se o valor de R$5,00 (cinco reais) para entrada - mesmo que tenha contratado a cavalgada.

A cafeteria Heimen possui uma vista ímpar, e serve diversos tipos de café: expresso, coado, Clever, dentre outros. Os grãos são de produtores da região. Infelizmente, não conseguimos provar lá o famoso "Café Jacu".



Para participar da cavalgada, é preciso ficar atento aos horários e idade:

Cavalgada Trilha Longa Lagarto - com duração de 1:40h - percorre áreas de mata nativa e plantada até chegar ao Mirante do Lagarto - saída 9:30h - idade mínima: 10 anos


Cavalgada Trilha Longa Piscinas - com duração aproximada de 1:40h. percorre áreas de mata nativa e plantada até chegar às piscinas naturais da Fazenda. Saída 13:30h. Idade mínima: 10 anos.

Cavalgada Mini trilha - com duração aproximada de 20 min. Segue até a plantação de Café Orgânico Heimen. Saída em vários horários, Idade mínima: 2 anos, mas entre 02 e 07 anos apenas acompanhadas dos pais ou responsáveis, na garupa.

Mesmo que não faça a cavalgada, vale a pena ver o estábulo: visitas diárias entre 08:00h e 17:00h. Os animais são lindos.



Outras informações: www.fjorland.com.br


Dica 3: Pedra Azul Ecotur



(Rota do Lagarto)

Situado no Km7 da Rota do Lagarto, e inovando no local, a Pedra Azul Ecotur oferece bicicletas para aluguel. 

Há bicicletas elétricas (adoramos!!) ou não e, como sugestão, duas rotas a serem feitas: a Rota do Lagarto e o Caminho das Flores - este último possui ciclovia.


O aluguel das bikes comuns possui o custo de R$ 30,00, e das bikes elétricas, R$ 65,00. Este valor é para o período de 1:00h (uma hora) - há tolerância. É possível pagar com dinheiro ou cartão.




Vale mencionar o atendimento excelente da Grazi! Te explica como usar a bike elétrica, qual a melhor bicicleta para você (considerando sexo, porte físico) e te recebe com um sorriso lindo!

Há uma novidade: agora servem o chopp da Cervejaria Barba Ruiva (vou contar em outro post!). Assim, quem não quiser pedalar, espera a família ou os amigos saboreando um chopp e apreciando a vista.


Contato: Tel: (27) 99231.3736 (Orácio) - Instagram: @pedraazulecotur


Dica 4: Cervejaria Altezza 


Saindo um pouquinho da Rota do Lagarto, indo para Alto Caxixe (Venda Nova do Imigrante), você conhecerá a Cervejaria Altezza.




O local merece a visita. A antiga casa abriga a cervejaria e um bier garden - são servidos chopps e petiscos. A vista? Da Pedra Azul.




É possível fazer um tour para conhecer a cervejaria (produção).


Ficou com vontade de mais? Você pode comprar ali mesmo a cerveja, bem como os petiscos: alho em conserva, palmito, jiló... além do doce de limão siciliano e limoncello (licor de limão siciliano) - tudo produzido no local.




Dica 5: Apiário Florin


Esta é a dica mais doce :)


O Apiário fica na estrada que nos leva a Afonso Cláudio, outro município capixaba. Subindo pela BR262, após passar a entrada do Caminho das Flores, você precisará entrar à direita.


No local há comercialização de mel de várias floradas (café e macadâmia são os meus prediletos), além do favo de mel e outros produtos derivados (cremes, sabonetes).

É possível fazer uma visita às colmeias, devendo esta ser previamente marcada. Há dois horários: 10:00 e 14:00h, e possui o custo de R$ 25,00 por pessoa. A idade mínima é de 12 anos.



Outras informações: www.apiarioflorin.com.br 


Gostou? Deixe seu comentário!!

Tem alguma outra dica? Compartilhe conosco!!

Siga-nos no Facebook: Um Olhar Novo
Siga-nos no Instagram: @blogumolharnovo
Siga-nos no Twitter: umolharnovo

Pocando no ES

Realização: Capixaba na Estrada
Apoio: Ibis Reta do Aeroporto, Ibis Budget Vitória, Secretaria de Turismo do ES
Parceiros: Barba Ruiva, Fjorland Ecologia e Turismo, Pedra Azul ecotur, Hotel Ilha do Boi, PlaceOffice, Café Caramello, Guardian, Guia & Turismo
Blogs Participantes: Comendo Chucrute e Salsicha, Casal no Mundo, In Routes, Viaja, Bi!, Marola com Carambola,
Viagem Massa, Guia capixaba, Um olhar novo, Caixa de viagens

Agradecimentos: Restaurante Travoletta, Restaurante Ilha do Caranguejo, Espresso Caffè