domingo, 1 de março de 2015

Descobrindo a capital mineira: Belo Horizonte

Conheci Belo Horizonte há pouco tempo, e a partir de então, me apaixonei.

A cidade planejada e organizada possui amplas avenidas, altos prédios, mansões, inúmeros shoppings e um lugar que me encanta: a Lagoa da Pampulha.

Talvez por que ela permita uma amplitude não vista em outros lugares da cidade, talvez por que às suas margens esteja a Igreja de São Francisco de Assis, um marco da cidade.

A igreja começou a ser construída em 1943, ao mesmo tempo em que o conjunto arquitetônico da Pampulha, e teve sua ornamentação concluída em 1957. Tombada pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), foi o primeiro monumento registrado pelo inventário do Patrimônio Cultural da Arquidiocese de Belo Horizonte. Seus painéis são de autoria de Cândido Portinari.



Também às margens da Lagoa fica a Casa do Baile, inaugurada em 1943 servia de palco para entretenimento da noite; hoje recebe exposições temporárias, simpósios.

Recentemente inaugurada, a Casa Juscelino Kubitschek foi projetada no mesmo ano que a Casa do Baile. Objetivava ser a casa de final de semana do então prefeito da cidade, e hoje abriga um museu sobre o modo de vida das famílias das décadas de 40 a 60 e um pouco sobre personagens importantes deste período, e merece a sua visita. O local é lindo.

Saindo da região da Pampulha e indo para o Centro, o Mercado Municipal é parada obrigatória. Recheado de sabores e cores, possui produtos do estado de Minas Gerais, como o queijo da Canastra (dentre outros), doce de leite, sem contar os utensílios domésticos e artesanato. Leve um dinheirinho e reserve o espaço na mala! ;)



Dentro do mercado, aproveite e tome um café na "Dona Diva". Atendimento nota 10! (www.donadivaquitanderia.com.br)

Ainda no Centro, a Praça da Liberdade se destaca. A área arborizada, em frente ao Palácio da Liberdade, invade nossos olhos. Crianças, jovens, idosos, famílias, esportistas, há espaço para todos. Rodeando a praça, prédios históricos - onde funcionavam as Secretarias Estaduais - abrigam museus de diferentes temas. Dentre eles, o CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), o Museu de Mineralogia e o Museu Minas Gerais (Vale).

Recomendo, principalmente com crianças, a visita ao Museu Minas Gerais (Vale). O espaço com várias salas, café e livraria conta a história da fundação de Belo Horizonte em vídeos, imagens, sons. O espaço é bem dinâmico, e em alguns dias possui contação de história para os pequenos (veja a programação no site: www.memorialvale.com.br), bem como visita guiada, explicando cada sala do museu (horários fixos).




O Centro Cultural Banco do Brasil abriga exposições itinerantes e, no último andar, uma exposição cronológica desde a fundação do banco (moedas, mobiliário etc). 

Um outro ponto que merece destaque é o Parque das Mangabeiras. Para chegar até lá você passará pela Praça do Papa (Praça Israel Pinheiro), pare e aprecie a vista da cidade que se derrama aos pés da Serra do Curral.

Dica para os curiosos: Do ladinho da praça fica a Rua do Amendoim, que permite uma ilusão de ótica, fazendo com que o carro "suba sozinho uma ladeira". As crianças adoram!! 

O Parque das Mangabeiras, parque municipal, possui 2,3 milhões de metros quadrados de mata nativa e seu projeto paisagístico foi desenhado por Burle Marx. Para percorrer todo o espaço é possível fazer trilhas ou pegar o ônibus (apenas feriados e finais de semana) que sai do portal principal e para em pontos determinados (não deixe para voltar no último, porque fica muito cheio). Logo na praça os quatis chamam a nossa atenção - infelizmente eles se alimentam de petiscos jogados pelos visitantes e estão tão acostumados que se jogam nas lixeiras em busca da ceia. 

No parque há local para skate, bica d'água, mirantes, e permite a prática de caminhadas e corridas, além de ser convidativo a um piquenique em família ou com amigos.

Somado ao clima acolhedor, a comida gostosa, Belo Horizonte é linda e merece sua visita. 

Boa viagem!!!

Serviço:
Onde ficar? 
  • A Rede Ibis possui diversos hotéis espalhados pela cidade. Se estiver em família, recomendo o Adágio Minascentro (perto do Mercado Municipal), por ser um aparthotel (dois quartos, sala e cozinha americana). As diárias são inferiores a R$ 200,00 - você pode conferir em: www.accorhotels.com

Onde comer?
  • Speciali Pizza e Bar - pizza gostosa e sabores diferentes. Endereço: Rua Fernandes Tourinho, 805, Lourdes, Belo Horizonte (www.specialipizzabar.com.br)
  • Mello Mercearia, Restaurante e Pizzaria - no local funcionava uma mercearia, e vários objetos antigos foram preservados e decoram o local. Há, aproximadamente, 95 (noventa e cinco) diferentes rótulos de cerveja, de todo o mundo. A que possui maior teor alcoólico é a austríaca Eggen Berg Samich Laus com 14% de álcool (!!!). Endereço: Av. Professor Mario Werneck, 1055, Buritis, Belo Horizonte (facebook: Pizzaria Melo).
  • Restaurante Xapuri - embora eu não tenha achado nada especial (comida mineira a preço alto), é muito recomendado pelos moradores e turistas. Provavelmente darei uma segunda chance. (www.restaurantexapuri.com.br) Endereço: Rua Mandacaru, 260, Pampulha, Belo Horizonte.

Como chegar? 
Caso vá de avião, os vôos interestaduais apenas desembarcam no Aeroporto de Confins, que fica a 30 km (trinta quilômetros) do centro da cidade. O táxi custa aproximadamente R$ 100,00, mas há opção do ônibus executivo Conexão Aeroporto (www.conexaoaeroporto.com.br), cujo valor por passageiro é de R$ 23,70. A parada final é em frente aos hotéis Ouro Minas e Ramada Minas Casa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário